Author

Ginásio.org

Browsing

Durante mais de 2 meses com as portas fechadas, os ginásios tiveram de adaptar o seu funcionamento de forma a garantir a segurança dos seus clientes durante esta fase de pandemia (Covid-19), seguindo as normas recomendadas pela DGS (Direção Geral de Saúde).

Mas e tu? Sabes todos os cuidados que deves ter ao treinar num ginásio? Nós ajudamos.

  1. Durante o exercício físico mantém o distanciamento mínimo de 3 metros entre pessoas, seja em espaços abertos ou fechados;
  2. Deverás marcar previamente a tua ida ao ginásio ou a participação em aulas de grupo através dos meios disponibilizados pelo teu ginásio (online ou via telefone);
  3. A utilização de máscara é obrigatório (apenas) na entrada e saída das instalações;
  4. Não é permitido o contacto físico entre técnicos, funcionários e clientes (excepto em situações de emergência);
  5. Os balneários estão fechados. Apenas será possível o acesso aos cacifos e WC’s;
  6. A higienização das mãos é obrigatória;
  7. Caso o ginásio tenha piscina, a utilização de óculos é recomendada;
  8. Saunas, solários, hidromassagem e similares deverão permanecer fechados;
  9. Troque o calçado que trouxe do exterior pelo calçado exclusivo para utilização no ginásio na entrada das instalações ou utilize as proteções de sapatos fornecidas até ao balneário.

Estes são os principais cuidados e regras a ter ao frequentar um ginásio durante a fase de pandemia que vivemos, pelo que por ti e pelos outros recomendamos também que sigas todos os procedimentos à risca.

Contudo, se o teu ginásio possibilitar (existem bastantes cadeias de ginásios que já o fazem, e com bastante sucesso), acede às sessões de treino online a partir da tua casa.

Alternativamente, existem ginásio que estão a privilegiar os treinos ao ar livre como forma de diminuir o risco de propagação da pandemia Covid-19, pelo que se o teu tem um espaço exterior para o efeito é uma excelente alternativa à prática de exercício indoor.

Podes consultar todo o regulamento disponível para a prática de atividade física em ginásios no website da Direção Geral de Saúde (aqui).

Aproveita também esta fase para reforçar o teu sistema imunitário com uma alimentação saudável e equilibrada. Comer bem e nas horas certas pode fazer milagres pela tua saúde. Vê o nosso artigo sobre Alimentação Saudável e percebe o que deves comer e quando deves comer.

Treina em segurança.

As pernas dão suporte ao nosso corpo. Oferecem-nos liberdade ao darem-nos mobilidade. Mas precisam de ser trabalhadas. Descubra neste artigo 10 exercícios para pernas fortes e definidas.

Cada pessoa tem um ideal próprio e os seus próprios objetivos quando entra no ginásio ou começa o treino em casa. Por isso, e de forma a tornar o artigo mais completo, incluímos:

  • 4 exercícios de musculação focados no aumento da massa e volume muscular (hipertrofia muscular).
  • 2 Exercícios orientados para pernas definidas, fortes e combate à flacidez.

Músculos das pernas: O que trabalhar no ginásio?

Muitas pessoas negligenciam esta parte do corpo, ou não a exercitam de forma correta. O treino de pernas deve abranger exercícios distintos porque o grupo muscular nesta região do corpo é complexo.

Por exemplo, a zona dos glúteos faz parte dos músculos das pernas?

Sabia que o gémeo é um grupo muscular que exige tempo e dedicação para começar a mostrar resultados?

Ao saber quais os músculos que compõem as pernas e onde se localizam (imagem 1) pode otimizar o programa de exercícios e aperfeiçoar a realização do movimento.

Como trabalhar este grupo muscular?

A musculatura das pernas é a mais recrutada durante as atividades do dia a dia. Portanto, a missão de aumentar o volume da massa muscular nesta zona, ou eliminar a celulite na área das coxas é mais exigente.

Existe um exercício que os puristas dizem ser o mais eficaz. O Classic barbell squat ou agachamento clássico com barra.

Neste treino são recrutados os quadríceps, os músculos posteriores e laterais da coxa e os glúteos. O exercício exige também estabilidade e contração da musculatura superior, o que gera uma resposta sistémica.

Comecemos então por uma variação deste exercício.

4 Exercícios de musculação para pernas (hipertrofia muscular)

Agachamento com barra livre (Barbell Squat)

Este exercício trabalha os grandes músculos das pernas, confere força e promove de forma eficaz a hipertrofia da musculatura.

Estudos defendem o Agachamento com pesos livres em comparação com a utilização da máquina Smith. De acordo com os dados, o agachamento livre recruta e ativa mais músculos, para além de exigir maior força muscular.

Seja qual for o método que escolher, este treino requer alguma técnica e prática.

Execução

  • Mantenha as costas firmes durante o movimento;
  • Cotovelos a apontar para o chão;
  • Com a barra na zona do trapézio, mantenha os pés afastados à largura dos ombros;
  • Pés ligeiramente a apontar para fora;
  • Dobre os joelhos e inicie a descida;
  • Empurre a coxa para trás para abrir a zona do quadril, empurrando os pés para fora;
  • Repita o movimento.

Leg Press 45º

Este exercício envolve a flexão parcial dos joelhos e trabalha os quadríceps, glúteo máximo e os músculos isquiotibiais (localizados na região posterior, no seguimento da coxa).

É um dos exercícios obrigatórios para fortalecer os músculos das pernas, embora recrute menos massa muscular do que os agachamentos.

4 indicações a ter atenção ao realizar este treino:

  1. Escolha a carga adequada (aumente gradualmente à medida que exercita e ao longo do tempo).
  2. Tenha atenção à qualidade do movimento (controle a subida e descida, de forma lenta, ajudando com a respiração).
  3. Não junte os joelhos ao realizar o movimento; tente afastá-los à medida que realiza a subida e a descida. Devem manter-se à largura dos ombros.
  4. Realize o movimento com grande amplitude.

O exercício deve ser realizado de forma correta, sob pena de provocar lesões nos joelhos ou dores nas costas. O ângulo do exercício coloca alguma pressão suplementar na zona lombar.

Stiff

Este exercício ativa os músculos posteriores. Ao mesmo tempo, tem a vantagem de fortalecer a região lombar.

Pode ser realizado com barra, pesos ou na máquina Smith. Ao contrário do que muitas pessoas julgam, é diferente do levantamento de pesos.

Execução

  • Coloque as pernas próximas uma da outra. Agarre a barra com as mãos a uma distância um pouco maior que a largura dos ombros;
  • Coloque os ombros para trás, aproximando as omoplatas;
  • Suba a carga mantendo a curvatura natural das costas até o corpo estar direito.
  • No movimento de descida, deve sentir os músculos posteriores alongarem.

Recomendações

  • Costas direitas durante o exercício;
  • Evite arredondar a coluna durante o movimento;
  • Realize a descida de forma controlada, evite movimentos rápidos e bruscos.

Avanço, passada ou Dumbbell Lunges

Terminamos esta série com outro dos exercícios incontornáveis, o Dumbbel Lunges.

Existe um sem-número de variações, podendo ser realizado de acordo com o nível do praticante.

O Avanço trata-se, na sua essência, de uma passada gigante. É um exercício exigente, mas mais funcional que os agachamentos porque recrutam todo o corpo.

Se der um passo menor, trabalha os quadríceps. Em alternativa, se a passada for mais ampla, exercita os glúteos ao máximo.

Podem ser usados pesos e halteres para dificultar a sua execução.

Recomendações baseadas nos erros mais comuns:

  • O joelho não deve ultrapassar os dedos do pé;
  • Costas devem estar direitas: evite inclinar para a frente ou para trás;
  • Joelho que fica atrás deve estar alinhado com o corpo e apontar para o chão na fase do agachamento.

2 exercícios para pernas definidas e tonificadas

Lunge lateral

É uma variação dos famosos agachamentos. O exercício é eficaz para trabalhar quadríceps e os glúteos.

Execução

  • Coloque-se de pé, com as pernas afastadas à largura dos ombros; as mãos cruzam-se frente ao peito;
  • Dê um passo largo para a direita, empurre a anca para trás e dobre o joelho da perna oposta a 90º;
  • Empurre a perna dobrada para subir e voltar à posição inicial.

Agachamento Sumo com haltere

É um exercício composto porque trabalha diversos músculos e articulações em simultâneo, para além de fortalecer o core.

O agachamento sumo difere do tradicional devido à posição dos pés e pernas. Como resultado, exercita-se uma parte diferente da musculatura das pernas: adutores e glúteos.

Execução

  • Coloque o haltere com o peso indicado à sua frente, na zona da cintura, isto é, a meio do corpo;
  • Afaste as pernas e dobre os joelhos;
  • Coloque os pés afastados e voltados para fora; atenção que os joelhos devem apontar na direção dos pés;
  • Desça até que os joelhos e as ancas se encontrem completamente dobrados;
  • Estique as pernas e coloque-se numa posição direta;
  • Repita o movimento mantendo sempre as costas retas.

E chegámos ao fim desta série de exercícios de musculação para as pernas.

No próximo “dia das pernas” no ginásio ou em casa, terá um conjunto de exercícios para começar, ou intensificar o trabalho destes músculos.

O esforço vai compensar e resultar numas pernas definidas, fortes e tonificadas.

Um dos exercícios mais populares nos ginásios são os agachamentos. Também conhecidos como squats, estes exercícios trazem inúmeros benefícios, não apenas para os glúteos, mas também para o desenvolvimento de outros grupos musculares.

Neste artigo poderá saber mais sobre o agachamento, como fazer corretamente, quais os seus benefícios, e ainda, alguns exemplos de exercícios.

O que é um squat

O squat, de uma forma simplificada, é um exercício no qual se faz um agachamento, como se fosse sentar numa cadeira. Num squat você irá repetir este movimento várias vezes, trabalhando diversos grupos musculares. Existem depois variações deste movimento, permitindo trabalhar mais especificamente alguns músculos. Contudo, o movimento base é sempre o mesmo. Para ser feito corretamente você deve seguir os seguintes passos:

Passo 1 – Inicia o exercício em pé, com os pés afastados entre si com uma largura igual à dos ombros.

Passo 2 – De seguida, mantendo o tronco reto e o peso sobre os calcanhares, faz o movimento de agachamento, puxando o quadril para trás. Neste exercício o centro de gravidade é assim deslocado para a zona traseira do corpo.

Passo 3 – É importante ter em conta que durante o movimento de agachamento deve olhar em frente e nunca deixar que os joelhos ultrapassem a linha do pé.

Rapariga de biquini com água pela coxa

Quais os músculos desenvolvidos no squat

Quando se fala em exercício de agachamento, pensa-se logo na tonificação dos glúteos. E realmente, não há melhor exercício para deixar os glúteos firmes e tonificados. Como foi referido em cima, no movimento de agachamento, o centro de gravidade é deslocado para a zona dos glúteos, solicitando assim bastante esses músculos.

No entanto, o squat é um exercício que solicita também outras regiões musculares, ajudando a tonificar essas áreas. Assim, além dos glúteos, num squat pode ainda desenvolver as coxas, os quadríceps, os músculos associados ao quadril e os gémeos. Há ainda vários músculos da região central que são solicitados de modo a estabilizar o movimento. Como tal, no agachamento são também trabalhados os músculos extensores laterais e central do abdómen e a região lombar.

Benefícios dos squats

Além de tonificar várias regiões musculares, o agachamento traz ainda outros benefícios importantes para o atleta. Conheça de seguida os principais benefícios do squat.

  • Melhora a forma física, permitindo realizar as tarefas diárias com mais facilidade e menos cansaço;
  • Ao tonificar os músculos do core, ajuda a melhorar a postura e o equilíbrio;
  • Quando realizado de uma forma correta, o squat é um exercício de grande intensidade que estimula a produção e libertação de hormonas importantes para a construção de massa muscular;
  • Como o ênfase maior está nas pernas, a integração destes exercício nos treino semanal irá contribuir para a melhoria do desempenho físico, nomeadamente a nível do salto e da corrida;
  • O agachamento, quando realizado corretamente, é um exercício bastante intenso. Como tal, vai estimular a aceleração do metabolismo e a queima de gordura;
  • A prática destes exercícios tem também benefícios positivos a nível da saúde, ajudando a aumentar a densidade óssea e a prevenir problemas como a obesidade, a diabetes e doenças cardiovasculares.

Exemplos de exercícios de squats

O squat mais simples é aquele apresentado no início do artigo, onde se realiza apenas o movimento de agachamento. Além desse, há algumas variações utilizando-se geralmente acessórios, como os halteres, a barra de musculação ou a fitball, e ainda, o chamando agachamento smith.

Agachamento com halteres

Neste exercício terá de fazer o movimento explicado mais em cima, mas com os braços estendidos de lado, com um haltere em cada mão.

Agachamento com barra de musculação

No agachamento com a barra de musculação deve começar por colocar a barra encostada no trapézio. De seguida, tendo o cuidado de manter sempre o abdómen contraído e o tronco direito, deve agachar-se fletindo os joelhos e baixando o quadril em direção ao solo, sem deixar os joelhos ultrapassarem a linha do pé.

Homem faz agachamento ou squat com barra ao ar livre

 

Agachamento com fitball

Posicione-se junto a uma parede, com as costas viradas para ela. Coloque a fitball nas suas costas e encoste-se à parede, de modo que o seu corpo esteja ligeiramente inclinado para trás. De seguida, terá apenas que fazer o movimento de agachamento, até que as coxas fiquem paralelas ao chão. Também neste deve ter o cuidado de afastar os pés à largura dos ombros e não deixar que os joelhos ultrapassem a linha vertical definida pela ponta do pé.

Agachamento smith

O agachamento smith é um squat realizado com ajuda de um aparelho de barra fixa. Dependendo das características e necessidades de cada pessoa, o peso utilizado é variável. O agachamento smith facilita a execução do movimento com peso, sendo por isso especialmente recomendado para praticantes sem grande experiência na utilização de pesos no agachamento.

Este é um agachamento onde existe uma necessidade especial de ser feito de forma correta, já que sendo uma barra fixa, caso utilize uma postura inadequada, esta permanecerá incorreta durante todo o exercício. Dessa forma, é um squat que pode facilmente levar ao aparecimento de lesões musculares.

Para realizar corretamente o agachamento smith comece por posicionar a barra no trapézio. De seguida, coloque os pés à largura dos ombros, alinhados com o quadril e virados para a frente, quase por baixo da barra. De seguida, deve descer o corpo lentamente, atirando o quadril bem para trás e fazendo força nos calcanhares, até que as coxas fiquem paralelas ao solo. Neste momento, deve retornar à posição inicial, sempre de uma forma controlada, até que a coluna fique ereta.

Para executar de forma perfeita o agachamento smith deve ter em conta alguns cuidados, nomeadamente não usar peso excessivo, não apoiar a barra na nuca, e ainda, não posicionar os pés muito para a frente do corpo.

Todos os dias gastamos energia em atividades comuns como andar, comer, trabalhar e até pensar. A quantidade de calorias e energia consumida depende de diferentes fatores: idade, sexo, peso e atividade física, sendo importante cada pessoa conhecer as suas necessidades calóricas para ter uma alimentação saudável e adequada a si mesmo.

Mas será a contagem total de calorias ingeridas a melhor forma de conseguir ter uma dieta otimizada e que nos deixe com o peso que nos deixe satisfeitos? Se sim, qual a melhor forma de proceder a essa contagem?

Comece por perceber o balanço energético

Cada alimento tem um certo valor energético que é fácil de medir em laboratório sob forma de calorias. No quotidiano quando se faz exercício, quando se respira ou quando se faz qualquer coisa na qual se gasta energia, esse gasto é também medido em calorias.

Para perceber qual é a melhor dieta alimentar para si, é necessário ter em conta a chamada balança energética. Se gasta mais energia do que aquela que consome, a energia em falta é retirada das gorduras e energia que estão de reserva no corpo, ou seja perderá peso. Ao consumir menos calorias do que aquelas que gasta durante o dia (a caminhar, correr ou e fazer qualquer atividade física), os músculos acabam por usar as reservas de glicogénio e de gordura do corpo.
Por exemplo: se consome 2,000 calorias e gasta 2,500 calorias num dia isso significa 500 calorias a menos nas suas reservas, o equivalente a 55g de gordura.

Como contar as calorias?

A fórmula fornecida pelo Today’s Dietitian, a revista dos profissionais de nutrição britânicos, é uma excelente cábula para que possa contar as calorias que está a ingerir.

Tabela para contar as calorias: correspondência de caloria por grama e os respetivos macronutrientes

Ao ter esta tabela debaixo de olho, basta pegar na quantidade do alimento que está a consumir e multiplicar esse valor por 9 ou 4, para saber qual o valor de quilocalorias ingerido. Ou seja, se ingerir 10 gramas de gordura, o total de calorias consumidas é 10*9 = 90 kcal. Ao passo que se ingerir as mesmas 10 gramas mas de hidratos de carbono, o total é apenas 40kcal (10*4= 40 kcal).

Com este cálculo parece óbvio que devemos cortar na gordura, mas isso pode não ser assim tão boa ideia. Como a gordura é de absorção lenta, esta sacia. Os hidratos de carbono, mesmo os mais complexos, são absorvidos mais rapidamente, o que provoca fome. Portanto, mesmo quando se quer perder peso, é importante manter uma alimentação variada!

Para contar calorias não precisa de andar para trás e para frente com uma balança de cozinha. Hoje em dia são inúmeras as aplicações para smartphone e os websites que fazem essa contagem por si. Alguns dos mais popular e completos actualmente são o MyFitnessPal e o FatSecret.

Quantas calorias devo ingerir?

O ideal para uma dieta ou controlo de peso sustentável é comer de forma equilibrada e respeitando a roda dos alimentos, para ter uma alimentação variada. Mas se quiser ir além desta regra básica preste atenção às dicas e à calculadora que apresentamos de seguida.

Lípidos

Não elimines os lípidos! Desde que estes sejam provenientes de alimentos pouco processados como peixe, frutos secos ou azeite com acidez inferior a 5%, a gordura é saudável.

Hidratos de Carbono

Faça os cálculos aos hidratos de carbono necessários para a energia a ser gasta nas próximas horas até voltar a comer. Deve ter em conta as calorias que vai perder através da actividade física ou desporto praticado.

Fibras

As fibras não são completamente digeridas, pelo que quando este valor aparece no seguimento dos hidratos, podemos simplesmente ignorá-lo da contagem.

Proteína

As necessidades de proteína variam consoante o nível de atividade feita durante o dia. Como a proteína é o macronutriente responsável pela “construção” muscular, se fizer por desportos e atividades como musculação ou crossfit, poderá aumentar o consumo de proteína nesse dia.

DDR ou Doses Diárias Recomendadas

É muito normal vermos nas embalagens de produtos de compras as DDRs segmentadas entre homens e mulheres. É importante perceber que estes valores são meramente indicativos e podem até induzir muitas pessoas em erro.

O organismo de uma pessoa do sexo masculino com 1,65m e de 55 anos de idade consome necessariamente muito menos hidratos, proteína e lípidos do que um homem de 1,90m e 20 anos.

O melhor a fazer para determinar as tuas necessidades diárias de ingestão calórica é recorrer a uma calculadora que tenha em conta a tua idade, peso, altura, gênero e nível de actividade.

Pode experimentar esta calculadora fornecida pelo fatsecret para calcular as suas necessidades calóricas diárias.

Manter uma alimentação equilibrada e um estilo de vida saudáveis com o ritmo frenético que vivemos atualmente nem sempre é fácil. De certeza que já deu por ti a saltar o pequeno-almoço, a comer mais snacks do que devia em pequenas pausas entre o trabalho e a aquecer pratos pré-cozinhados no micro-ondas cinco vezes por semana.

É provável que com esses hábitos tenha ganho algum peso e que a prática de desporto seja cada vez mais difícil. Seguindo algumas práticas alimentares e algumas técnicas de organização é possível conciliar o trabalho e os horários nem sempre certos com uma alimentação saudável. Descubra como:

O pequeno-almoço não é negociável

Nem que esteja super atrasado para o trabalho ou para uma reunião às 8:30, é importante que tome o pequeno-almoço. Mesmo que não tenha tempo para se sentar à mesa e comer de forma relaxada, pode sempre levar um pacote de bolachas e uma peça de fruta e comer pelo caminho. O importante é não começar o dia sem comer – o pequeno-almoço é uma das bases mais importantes de uma alimentação equilibrada e saudável!

Depois de estar várias horas sem comida, o corpo está com pouca energia. Isto significa que pode ter quebras de glicemia, dificuldade em concentrar-se e até ter tonturas.

Várias refeições ao longo do dia

Algumas pessoas fazem apenas três refeições por dia: o pequeno-almoço, o almoço e o jantar. No entanto, se quer tentar manter um estilo de vida ativo e uma alimentação saudável, é fulcral que coma (em média) de 3 em 3 horas. Isso permite que o corpo tenha sempre uma fonte de energia, que nunca fique esfomeado e não compense nas refeições principais.

Muitas pessoas que não lancham acabam por comer em demasia ao almoço e ao jantar, o que faz com a digestão seja mais difícil: um processo de digestão dificultado e lento acaba por provocar cansaço, o que faz com que não se consiga praticar exercício ou desporto.

Evite picos glicémicos

Outra das vantagens de comer várias vezes por dia é a eliminação de potenciais picos de açúcar. Quando ingerimos demasiados hidratos de carbono de uma só vez, acabamos por ter mais sede e mais dificuldade em concentrar-nos.

Deve também tentar evitar comidas demasiado doces à hora do lanche (nada de lanchar uma tablete de chocolate!). As comidas com demasiado açúcar são absorvidas rapidamente pelo organismo, o que faz com que a sensação de fome regresse rapidamente.

Uma forma de privilegiar uma alimentação saudável, é comendo fruta ao lanche; se o fizer, tente misturá-la com algo de absorção mais lenta, como uma fatia de pão integral ou uma barra de cereais.

Homem e mulher a beber água de garrafas de plástico, promovendo a alimentação saudável

Mantenha-se hidratado

Beber bastantes líquidos – água, água com gás, sumos naturais de fruta – ajuda a melhorar a função renal e a repor os eletrólitos depois de fazer exercício. Quando o corpo está desidratado fica muito mais vulnerável a doenças oportunistas como o herpes labial (sempre incómodo!), infeções urinárias e problemas digestivos.

Refeições completas ao almoço e ao jantar

Ao almoço e ao jantar tente incluir uma porção de proteína (no máximo do tamanho da palma da mão), legumes e hidratos de carbono. As refeições com alimentos de vários grupos alimentares são mais saciantes e saudáveis e garantem a ingestão da maioria das vitaminas e sais minerais que precisa.

Sempre que possível, opte por comida caseira: se não gostar de cozinhar, cozinhe apenas uma vez por semana e congele para o resto dos dias! No caso de precisar de comer pratos pré-preparados, evite refeições com um alto valor de sódio, gorduras hidrogenadas e edulcorantes. Bom apetite!

O TRX, cuja sigla significa Total-body Resistence Exercise, é um treino realizado com ajuda de um aparelho suspenso. Como o próprio nome indica, é um treino de resistência para todo o corpo, no qual se utiliza o peso corporal para realizar exercícios funcionais. Neste artigo poderá conhecer melhor como funciona esta modalidade, os benefícios e vantagens, e ainda, vários exemplos de exercícios de TRX.

Como funciona o TRX

O TRX é um treino funcional, ou seja, o peso utilizado é o peso do próprio corpo. Através de um aparelho leve e prático, formado por tiras de nylon ligados a um gancho, pode realizar mais de 300 exercícios diferentes. Rápidos e eficazes, com um conjunto de vários exercícios TRX conseguirá colocar em prática um treino muito completo, que tirará o máximo desempenho do seu corpo. Este treino pode ser realizado por qualquer pessoa, sendo a dificuldade e intensidade adaptada às capacidades individuais de cada uma delas.

O aparelho do TRX pode ser preso em qualquer estrutura, seja dentro de um ginásio, seja na sua casa, seja numa árvore no exterior. Por estar suspenso é também conhecido como treino em suspensão. Assim, para iniciar o seu treino basta ancorar o gancho em algo que seja resistente o suficiente para suportar o seu peso. Para ter as condições ideais terá ainda que ter algum espaço livre à sua volta, preferencialmente 1,80 m por 2,40 m de largura, e também, um piso não escorregadio.

Vantagens do TRX

  • Com apenas um aparelho poderá realizar exercícios para todo o corpo.
  • Com o TRX conseguirá realizar um treino muito completo em apenas 30 a 40 minutos.
  • Ao utilizar o peso corporal, o treino TRX torna-se mais funcional e proporciona um desempenho mais eficaz.
  • Ao contrário das muitas máquinas de musculação que encontra num ginásio, com um treino de TRX consegue resultados máximos com muito menor esforço. Ou seja, menor desgaste e melhores resultados.
  • Maior controlo dentro de cada exercício, já que para diminuir ou aumentar a intensidade basta pequenas alterações na posição do corpo.

Benefícios do TRX

  • Este treino em suspensão irá ajudar a reforçar o equilíbrio, força e resistência muscular.
  • Sendo um treino integrado, com muitos músculos a trabalhar ao mesmo tempo, ajuda também a queimar muitas calorias. Por isso, é um ótimo exercício para queimar gordura localizada e para emagrecer.
  • Tal como o Pilates, o TRX baseia-se muito no esforço da região abdominal, lombar e pélvica, ou seja, no core. O TRX core irá assim contribuir para o fortalecimento do núcleo muscular e para a definição dos abdominais.
  • O TRX core, ao desenvolver muito os músculos do core, irá também ter um contributo importante na correção da postura.

Exemplos de exercícios de TRX

Como referimos em cima, com ajuda do treino em suspensão TRX poderá realizar mais de 300 exercícios diferentes. De seguida poderá conhecer um exemplo para cada uma das principais regiões corporais.

Costas

Comece por segurar as alças com o corpo inclinado e os seus braços estendidos para a frente. As palmas das mãos devem ficar viradas para o centro. De seguida, flexionando os cotovelos e mantendo os braços sempre perto do tronco, puxe o corpo para cima.

Peito

Coloque-se de costas para o local onde o gancho está preso. Com os braços na linha do ombro e estendidos para a frente, e com as palmas das mãos viradas para baixo, segure as alças. De seguida flexione os cotovelos e abra os braços até ficarem ao lado dos ombros, tal como se faz no supino.

Ombros e costas

Neste exercício de TRX coloque-se de frente para o local onde o ganho está preso. Agarre as alças com os braços estendidos para a frente e incline-se para trás. De seguida, sem flexionar os cotovelos, levante as mãos abrindo ligeiramente os braços.

Abdómen

Neste exercício do TRX core, comece por prender ambos os pés no aparelho TRX e coloque-se na posição de prancha, com os cotovelos apoiados no chão. De seguida, basta flexionar o quadril e os joelhos, trazendo os pés na direção do corpo.

Dica: Leia o nosso artigo com exercícios para abdominais, caso queira definir os mesmos.

Tríceps

No treino em suspensão pode também trabalhar músculos como o tríceps. Assim, neste exercício coloque-se de costas para o aparelho, segurando nas alças com os braços estendidos para a frente, na mesma altura que os ombros, e inclinando-se para a frente. De seguida incline o corpo ainda mais para a frente, flexionando os cotovelos e levando as mãos junto à testa.

Bíceps

Comece por segurar as alças do aparelho TRX com os braços estendidos para a frente e as palmas das mãos viradas para cima. De seguida incline o seu corpo para trás, flexione os cotovelos sem deixar que os braços fiquem mais baixos, levando as mãos em direção à cabeça.

Coxas e glúteos

Neste exercício coloque-se de frente para o aparelho TRX. De seguida, segure nas alças com os braços flexionados à mesma altura do peito. Depois, baixe o joelho de uma das pernas, de modo a servir de apoio, e de seguida, levante a outra perna e leve para trás da primeira. Retorne à posição inicial e repita, sem que o pé se apoie no chão. Repita o exercício trocando a posição dos pés.

Pernas

Para trabalhar as pernas com o TRX pode fazer o agachamento. Para isso deve inclinar o corpo, segurar nas alças com os braços estendidos para a frente, e colocar os pés virados para a frente, com alguma distância entre eles. De seguida irá agachar, puxando o quadril o mais possível para trás, de modo que os joelhos não se movimentem para a frente. Mantendo sempre as costas direitas, desça até que as coxas fiquem paralelas ao solo. Por fim, deve voltar à posição inicial.

A preocupação com a composição dos alimentos é cada vez maior, não só por uma questão de saúde mas também pela otimização de uma dieta desportiva e de preocupações físicas. Falar de proteínas ganha toda uma importância sobretudo para os desportivas, preocupados com a recuperação depois da atividade física.

Essa preocupação é notória pela procura crescente de fontes de proteínas, não só em fontes alimentares como em suplementos proteicos. Muitas perguntas se impõem quando se fala em proteína: quais são as melhores fontes naturais? Os suplementos proteicos são saudáveis? Como devem ser utilizados? Este artigo pretende tirar algumas dúvidas e alertá-lo para os cuidados a ter com os suplementos proteicos.

O que são as proteínas e para que servem?

A importância da proteína para o corpo humano está gravada desde logo no seu próprio nome: a palavra deriva do grego antigo “prôtos” que significa “primeiro, essencial”. As proteínas são algo importantíssimo e essencial para o corpo, pois têm um papel essencial na formação dos músculos, na manutenção de órgãos e tecidos como a pele, ossos, cabelo ou unhas e em muitas outras funções do sistema nervoso. As proteínas são também as responsáveis por nos conseguirmos proteger de vírus e bactérias!

As proteínas são constituídas por vários tipos de aminoácidos, sendo que alguns deles, os chamados aminoácidos essenciais, não são produzidos pelo próprio corpo. A alimentação por nós feita é a única forma de fornecer ao corpo a quantidade de aminoácidos essenciais necessária.

A falta de proteínas no corpo é manifestada por fadiga, problemas de concentração e diminuição das defesas naturais.

Onde podemos encontrar proteínas?

As proteínas podem ser de origem animal ou de origem vegetal. As proteínas de origem animal são encontradas na carne, no peixe, nos ovos ou nos produtos derivados de leite. Este tipo de proteínas é mais completo, sobretudo quando se fala no ovo que é uma das maiores fontes de aminoácidos essenciais disponível. As proteínas de origem vegetal podem ser encontradas em alguns legumes como lentilhas ou grão, em cereais completos ou integrais, no soja e no tofu ou em frutos secos.

Feijões rajados

Quais as diferenças entre proteínas animais e proteínas vegetais?

A maior vantagem das proteínas animais é que têm em si todos os aminoácidos indispensáveis para o corpo humano. No entanto, têm também algumas desvantagens. Algumas fontes de proteínas animais, como por exemplo a carne de porco ou o queijo, têm um alto teor de lípidos e colesterol, estando ligadas a um maior risco de doenças cardiovasculares e de problemas de obesidade.

Já por si as proteínas vegetais são mais saudáveis mas não conseguem preencher sozinhas todas as necessidades do corpo humano em aminoácidos essenciais.

É no que diz respeito aos aminoácidos essenciais, sobretudo em pessoas vegetarianas ou veganas, que os suplementos proteicos podem ser úteis para complementar uma alimentação que peca por proteínas animais.

Os suplementos proteicos: como utilizar, em que situações e cuidados a ter

Os suplementos proteicos podem ser de extrema importância sobretudo para pessoas veganas que não encontram numa alimentação sem proteínas animais todos os aminoácidos essenciais ao corpo humano.

Desportistas e pessoas com uma elevada atividade física podem também encontrar nos suplementos proteicos um grande aliado. Os suplementos proteicos, como a proteína whey, permitem:

  • Otimizar a rapidez de absorção dos nutrientes. Um bife pode demorar até 2 horas a ser digerido pelo corpo, enquanto que uma dose de whey é assimilada em apenas trinta minutos;
  • O fornecimento de um conjunto de aminoácidos essenciais para o corpo.

Os suplementos proteicos não devem ser tomados em nenhum caso como sendo a única fonte de proteínas. Dificilmente irá ser possível encontrar neste tipo de suplementos o valor nutricional de referência sem paralelamente ter um alimentação saudável.

As proteínas são essenciais para uma alimentação saudável e uma saúde exemplar. Conhecer o valor nutricional de referência para o tipo de vida e atividade que leva é aconselhado antes de começar a tomar algum tipo de suplemento proteico.

O peso morto, também conhecido como deadlift, é talvez o exercício mais completo que pode ser executado num ginásio. Quando bem praticado, este exercício irá trabalhar de uma forma muito segura e eficaz vários grupos musculares, dos quais se destacam: lombares, isquiotibiais, trapézios, dorsais, abdominais, quadríceps e glúteos. Por esta razão é que o peso morto é considerado um dos principais exercícios na musculação direcionada tanto a hipertrofia como a treinos de força.

Neste artigo poderá conhecer mais a fundo este exercício, nomeadamente algumas variações, como executar de uma forma correta e segura, e ainda, as suas vantagens.

Variantes de exercícios

O peso morto é um exercício simples que consiste em levantar a barra do chão com as duas mãos, até ficar com o corpo totalmente vertical. Existem no entanto variantes deste movimento, que se traduzem nos pesos mortos básicos que se podem executar no treino. Assim, os exercícios de deadlift básicos incluem:

  • Peso morto clássico
  • Peso morto romeno
  • Peso morto estilo de arremesso
  • Peso morto com pega de arranque
  • Peso morto de arranque na plataforma

Além dos pesos mortos básicos, há ainda um conjunto de variações mais específicas, nas quais podemos mencionar o peso morto sumo, peso morto pega em supinação, peso morto de arremesso na posição “pé de pato”, peso morto de arranque na posição “pé de pato”, e ainda, o “Good Morning” original, entre outros.

Como fazer um deadlift

Como já viu em cima, há numerosas variações do peso morto. Contudo, há alguns exercícios que acabam por ser os mais populares, nomeadamente o peso morto clássico ou o peso morto romeno. De seguida poderá aprender, passo a passo, como executar corretamente estes dois deadlifts.

Clássico

Passo 1 – Comece por colocar os pés debaixo da barra, com as canelas o mais próximo possível dela, e com largura igual à das ancas.

Passo 2 – De seguida, deve baixar o quadril e flexionar os joelhos até conseguir fazer a pega da barra. As mãos devem ficar com uma distância aproximada de 50 cm entre elas (ou então, com a mesma largura de ombros) e os braços totalmente esticados.

Passo 3 – Por fim, é altura de levantar a barra. Quando o fizer deve colocar o seu peso sobre os calcanhares, levantando o peso até à anca, onde as suas pernas e costas ficarão na sua posição normal, totalmente eretas e numa posição vertical. A execução correta deste exercício requer que o levantamente seja feito para cima em linha reta, e sempre que possível com a barra em contacto com o corpo até se erguer na totalidade. Isto fará com que o stress sobre as costas seja menor.

Passo 4 – Após erguer a barra até à anca, deve descê-la novamente até à posição inicial, sempre com o peso em linha reta com o chão. Aqui não há necessidade de fazer muita força, tendo apenas o cuidado de descer o peso de forma controlada.

Romeno

Passo 1 – Neste exercício de deadlift utilizam-se os mesmos pressupostos já referidos no peso morto clássico. Contudo, a posição inicial deste exercício é o oposto do deadlift clássico. Assim, seguindo as instruções do peso morto clássico, eleve a barra até à anca. Esta será a sua posição inicial.

Passo 2 – De seguida, baixe a barra em linha reta até pouco abaixo do joelho, flexionando os joelhos e levando o seu quadril o mais possível para trás.

Passo 3 – Por fim, volte a erguer a barra até à posição inicial. Não esquecer sempre de apoiar o peso do seu corpo sobre os calcanhares e manter o movimento da barra sempre na vertical em relação ao solo.

Dicas para executar de uma forma segura

O peso morto é um exercício que, quando executado incorretamente, traz consigo várias lesões. Assim, de modo a realizar deadlifts de forma segura, é essencial seguir as instruções explicadas em cima, mas também, algumas dicas para manter uma postura corporal adequada. Conheça de seguida os cuidados de modo a garantir que executa o peso morto de uma forma segura:

– Deve evitar que as costas se abram, deixando a parte inferior arredondada. Para isso, deve executar o exercício com as costas arqueadas, ou seja, os os ombros puxados para trás, as abdominais contraídas e o peito para a frente.

– No deadlift não deve fazer hiperextensão do pescoço, de modo a evitar lesões nessa zona. Prefira manter a coluna neutra, ou então, ligeiramente estendida.

– Durante o peso morto pense sempre em manter a postura equilibrada, de modo a evitar esforços excessivos de determinados músculos. Por isso, evite usar a pega invertida ou mista.

Vantagens do peso morto

O deadlift é um exercício muito completo, oferecendo inúmeros benefícios a quem o pratica de uma forma regular e correta. Descubra de seguida as principais vantagens deste exercício.

Exercício completo

O peso morto é um exercício que trabalha um grande número de músculos. Estes incluem a parte inferior das costas, abdominais, glúteos, músculos pélvicos, coxas, ombros, trapézios, isquiotibiais, quadríceps, entre outros.

Aumento de massa muscular

Um movimento tão simples como o da elevação do peso morto pode incluir uma grande quantidade de músculo. Ou seja, ao trabalhar mais músculos simultaneamente, irá conseguir um desenvolvimento muscular mais rápido.

“Core” mais estável e postura mais adequada

O peso morto é um tipo de exercício que utiliza os principais músculos responsáveis pela força do “core”, mas também, pela postura corporal. Dessa forma, o treino de deadlift irá ajudar a uma postura mais correta nas atividades do dia-a-dia.

Fortalecimento do sistema cardio-respiratório

Qualquer exercício de deadlift realizado com intensidade suficiente irá exigir um grande esforço, tanto do sistema respiratório, como do sistema cardiovascular. Como tal, o peso morto traz também vantagens no condicionamento físico do sistema cardio-respiratório.

Recuperação de lesões

Sob supervisão médica e com os equipamentos adequados, os exercícios de deadlift podem ser muito úteis na recuperação de determinadas lesões, especialmente naquelas que afetam virilhas, joelhos e costas.

Exercício ideal para transformar o corpo

No que diz respeito a definição corporal, o peso morto é definitivamente um dos melhores exercícios para o conseguir de uma forma rápida e bem sucedida. Mas atenção, tenha o cuidado de seguir as nossas dicas e procure orientação no ginásio que frequenta para uma execução segura e correta.

Hoje em dia são cada vez mais as pessoas preocupadas em ter um estilo de vida saudável e ativo, de modo a combater o sedentarismo, o stress e os maus hábitos alimentares que marcam a sociedade atual. E ao contrário do que algumas pessoas pensam, não é necessário fazer grandes maratonas para usufruir dos benefícios da prática regular de atividade física.

Existem vários tipos de exercícios que pode utilizar no seu treino, sendo importante escolher algo de que goste e onde se sinta motivado, bem como uma exigência adequada ao seu perfil e disponibilidade. E se não gosta de corrida, não se preocupe. Existem exemplos de exercícios de cardio para além da corrida, e que lhe irão oferecer benefícios muito idênticos. Neste artigo iremos abordar o treino de cardio, nomeadamente as suas vantagens e quais os exercícios mais eficazes.

Exercícios de cardio – benefícios

Como o próprio nome indica, os exercícios de cardio irão trabalhar principalmente o principal músculo do corpo – o coração, bem como o sistema respiratório. Este tipo de treino é essencial para a melhoria ou manutenção da condição física, devendo por isso sempre ser a base de qualquer treino. Através da prática frequente de exercícios de cardio você poderá usufruir de um grande número de benefícios, dos quais se destacam os seguintes:

  • fortalecimento dos sistemas respiratório e cardiovascular;
  • redução da frequência cardíaca de repouso, da pressão arterial, e do esforço e recuperação pós-treino ou pós-esforço;
  • aumento dos níveis das endorfinas (hormonas relacionadas com o humor) e diminuição de várias hormonas associadas ao stress;
  • redução da massa gorda através da adaptação do metabolismo de modo a que consuma gordura como principal fonte de energia (perda de peso e definição corporal);
  • diminuição do colesterol;
  • maior irrigação sanguínea.

Para usufruir dos benefícios deste tipo de treino deve realizar cardio entre 3 a 5 vezes por semana, e nunca abaixo dos 45 minutos.

Como treinar cardio

Um exercício de cardio pode ser aplicado de duas formas: ou com intensidade baixa e duração longa, ou então, de curta duração e intensidade alta. Geralmente, durante estes exercícios, o treino para uma pessoal com condição física normal deve ocorrer dentro do intervalo de 55% a 90% da frequência cardíaca máxima (FCmax).

A frequência cardíaca é o número de batimentos que o coração dá num minuto, sendo a FCmax o número máximo de batimentos que ele pode realizar num minuto. Para saber a sua FCmax pode recorrer a vários métodos. O mais simples, denominado de método de Astrand, consiste em fazer o seguinte cálculo: 226 – idade (no caso das mulheres) e 220 – idade (no caso dos homens). Por exemplo, um homem com 35 anos terá uma FCmax média de 185 pulsações por minuto.

Zonas de frequência cardíaca máxima

Sabendo o FCmax, você pode treinar a uma determinada percentagem desse valor de modo a alcançar os objectivos pretendidos. Assim, se treinar a 55% até 75% do seu FCmax, estará a treinar a resistência, sendo nesta zona de esforço que se encontra a zona aeróbia lipolítica (60 a 70%) mais adequada para queimar gordura. Entre 75% e 85% já estará na zona do patamar anaeróbio, trabalhando a velocidade e a explosão, podendo aguentar esse esforço durante cerca de 1 hora. Acima dos 90% entra na chamada Velocidade Aeróbia Máxima, onde o esforço é de grande intensidade mas muito curta duração. Para calcular essas percentagens basta multiplicar o FCmax pela percentagem. Por exemplo, 70% de 185 calcula-se da seguinte maneira: 0,70 x 185 = 130.

Zonas para exercícios de cardio

Para quem quer perder massa gorda, além de treinar dentro da chamada zona aeróbia lipolítica, é essencial que o seu treino esteja organizado para iniciar-se com os exercícios musculares, terminando depois com exercícios cardio. Na realidade, o treino de força utiliza como fonte de energia o glicogénio. Como tal, ao gastar logo à partida as reservas de glicogénio, o organismo irá mais facilmente recorrer às reservas de gordura durante o treino de cardio. Além disso, como o treino de cardio pode também utilizar alguma massa magra, é essencial saber aliar exercícios cardio e de força, de modo a manter o corpo tonificado à medida que reduz o peso e a massa gorda.

Que exercícios cardio escolher

Como poderá ver mais abaixo, existem exercícios mais eficazes do que outros. Contudo, a escolha não deve limitar-se aos que ajudam a queimar mais massa gorda. Afinal, as pessoas não são iguais, e devem ser tidos em conta a atual condição física dessa pessoa, os seus gostos, e claro, as suas próprias limitações. Por exemplo, para pessoas com uma certa idade, ou então, com problemas de joelhos ou hérnias, a corrida não é o ideal pois implica grande impacto. Já a natação ou hidroginástica são opções bem mais adequadas a este exemplo.

Por isso, ao fazer a sua opção, escolha o tipo de exercício que seja o mais adequado para si. Os exercícios cardio que tem à disposição incluem a corrida, a caminhada, o step, o remo, o cross trainer, a natação, a dança, desportos de luta, crossfit, HIIT, a bicicleta estática ou ciclismo, entre outros.

Os exercícios cardio mais eficazes

No que diz respeito aos exercícios cardio, há alguns, mais eficazes que outros. Conheça de seguida aqueles que são os cinco mais eficazes na queima de gordura e na melhoria da condição física.

Corrida

Juntamente com a bicicleta, é o exercício mais popular para quem pretende perder peso e melhorar a condição dos seus sistemas respiratório e circulatório. A corrida é um exercício que estimula a elevação do metabolismo durante e após o exercício, sendo por isso ideal para queimar massa gorda em excesso.

Muay Thai

Tal como outros desportos de luta, o Muay Thay é um treino onde se aliam vários exercícios que exigem trabalho cardio, coordenação e força. Assim, através deste desporto conseguirá alcançar uma boa condição física, bem como, uma redução de massa gorda.

Indoor bike

Apesar de o ciclismo e o BTT serem modalidades onde o cardio é bastante trabalhado, nas aulas de indoor bike o movimento da pedalada é mais aproveitado. Através de um programa que simula diversas situações de terreno, as aulas de indoor bike ajudam a queimar muitas calorias em menos tempo do que estivesse a treinar no exterior.

Indoor bike

HIIT (High-Intensity Interval Training)

Outro treino muito na moda nos dias que correm. O HIIT é um treino que alia exercícios e movimentos de vários desportos, bem como trabalho funcional. Num programa de HIIT os exercícios são realizados em alta intensidade, intervalados com curtos períodos de recuperação.

Crossfit

Cada vez mais na moda, o crossfit é um treino muito completo, não apenas de cardio, mas também de força, utilizando movimentos funcionais, treinados com intensidades altas. Assim, além da queima de calorias e na melhoria da condição dos sistemas cardiorrespiratórios, este treino ajuda a desenvolver capacidades como coordenação, agilidade, equilíbrio, potência, flexibilidade, força, resistência muscular, entre outras.

Conclusão

Existem diversas modalidades para manter a boa forma física. Aconselhe-se com os instrutores do seu ginásio acerca de quais os exercícios que deve fazer para a sua idade, condição física e peso. Se lhe suscitámos interesse com os exemplos que lhe apresentámos, pergunte se poderá praticar o mesmo.

Saber ler uma etiqueta nutricional de um alimento contribui para uma alimentação e dieta saudável, pois leva a um conhecimento completo do alimento que se está a consumir. Numa realidade perfeita, poderíamos abdicar dessa leitura consumindo só alimentos biológicos ou naturais, mas sendo que é difícil escapar a alguns alimentos processados é indispensável saber ler corretamente as suas etiquetas, para tentar seguir uma alimentação o mais saudável possível.

A importância de ler uma etiqueta alimentar é um gesto que pode influenciar em muito a eficácia de uma dieta. Um estudo publicado na revista especializada Agricultural Economics, mostra que as pessoas que leem as etiquetas alimentares e nutricionais dos alimentos são quatro quilos mais magras que as restantes!

O que é preciso ler e conhecer num alimento?

Na embalagem de um produto alimentar constam normalmente dois tipos de informações:

  • a informação relativa aos ingredientes, e
  • a parte informativa sobre a composição nutricional do alimento.

A lista dos ingredientes é uma informação absolutamente obrigatória num alimento. Se o alimento que tem na mão não tem essa informação, não o compre!

Já a informação nutricional não é um elemento obrigatório (pelo menos não em formato tabela ou etiqueta nutricional), no entanto é cada vez mais comum a sua presença em quase todas as embalagens alimentares.

Como ler corretamente a lista de ingredientes

A lista de ingredientes apresenta todos os ingredientes e componentes presentes no alimento em questão. Estes são apresentados por ordem decrescente de quantidade, ou seja o primeiro ingrediente da lista é o que está presente em maior quantidade.

Esta ordem facilita a leitura e identificação da verdadeira composição do alimento: imagine um creme de barrar de avelã. Irá perceber, ao olhar rapidamente para a lista de ingredientes, que as avelãs não são o primeiro ingrediente, chegando bem atrás dos açúcares ou das gorduras de palma. Isso mostra que só uma pequena percentagem do alimento é que é fabricado realmente com avelãs!

Com a leitura da lista de ingredientes é também fácil identificar possíveis aditivos químicos: quanto mais curta a lista, melhor e mais saudável o alimento! Listas longas são sinónimo de demasiados componentes químicos, sendo que estes estão presentes normalmente no final da lista.

Alguns desses aditivos são utilizados para a conservação do alimento, não sendo portanto muito nocivos para a saúde; tente, no entanto, consumir alimentos com poucos elementos químicos: quanto menos, melhor!

Como ler a informação ou etiqueta nutricional

Mais complexa e detalhada do que a lista de ingredientes, esta etiqueta não precisa de ser um quebra-cabeças e merece toda a sua atenção durante a compra e consumo de alimentos processados.

É comum vermos hoje uma tabela nutricional bem completa e detalhada em quase todos os produtos. No entanto, a informação nutricional em forma de tabela não é uma informação obrigatória, mas existem, desde a entrada em vigor do Regulamento 1169/2011 (13/12/2016), alguns dados que devem ser sempre indicados seja em formato tabela ou não, sendo eles:

  • o valor energético do alimento,
  • a quantidade de lípidos ou gorduras (com indicação dos ácidos gordos saturados),
  • a quantidade de glícidos ou hidratos de carbono (com indicação dos açúcares),
  • a quantidade de proteínas e
  • a quantidade de sal.

Etiqueta nutricional

Outras informações opcionais como a quantidade de vitaminas e de minerais podem estar presentes e ajudam a complementar a composição do alimento.

A presença de uma tabela nutricional clara permite a apresentação dos componentes por 100 gramas ou por porção: esta leitura permite que seja possível comparar facilmente diferentes marcas do mesmo alimento e escolher o alimento com a melhor composição.

Dica: ao ver a quantidade de sal do alimento, divida a quantidade de gramas de sal por 4. O resultado será a quantidade aproximada de sal por colheres de chá. Isso permite uma maior noção da quantidade de sal do alimento.

Lípidos, glícidos, ácidos gordos saturados ou insaturados: como escolher?

Se muitas são as pessoas que acham que por eliminar os lípidos, glícidos e ácidos gordos estão a zelar por uma dieta mais saudável…isso é errado! Estes três componentes alimentares são necessários para o nosso corpo e não devem ser eliminados de uma alimentação saudável.

Os glícidos, mesmo com esta apelidação não muito apetitosa, representam os açúcares. Devem ser portanto escolhidos alimentos com um número razoável de glícidos, sem no entanto levar a uma privação destes, pois são indispensáveis para o nosso corpo.

Os lípidos são muitas vezes dados como um dos principais inimigos de quem emagrecer…mas não é por isso que devem ser banidos! Os lípidos são responsáveis pelo armazenamento de energia sob forma de gordura, sendo portanto essenciais para se ter energia no quotidiano. Estes devem ser no entanto consumidos de forma controlada para controlar excessos, priorizando gorduras vegetais, visto que estas são ricas em ácidos gordos insaturados.

A nível de ácidos gordos, devem ser privilegiados os seguintes: omega-3, omega-9 ou omega-6, uma vez que são alguns exemplos de ácidos gordos insaturados, bem mais saudáveis para o corpo que os ácidos gordos saturados! Estes últimos podem levar a problemas de colesterol, diabete ou hipertensão.

Conclusão

Com tantas opções alimentares no mercado, é cada vez mais importante saber ler as informações nutricionais dos alimentos comprados para priorizar uma dieta o mais saudável possível.

Ter em atenção sobretudo a lista de ingredientes leva a um maior conhecimento daquilo que se consome, aumentando até a eficácia de dietas de emagrecimento. Perante alimentos demasiado complicados de perceber e com uma composição demasiado complexa tente escapar a essa compra: a sua saúde agradece!